ÁREA RESERVADA|ISBN|CATÁLOGO BIBLIOGRÁFICO|FEIRAS DO LIVRO|CONTACTOS|ASSOCIAÇÕES DO SETOR
HOMEA APELASSOCIADOSDOCUMENTAÇÃOPIRATARIA DIGITALNOTÍCIAS
LOGÓTIPOS|HISTÓRIA|ESTATUTOS|ÓRGÃOS SOCIAIS 2015-2017|SERVIÇOS|MANUSCRITOSTORNE-SE SÓCIO|TABELA DE QUOTAS|LISTA DE ASSOCIADOS|ACORDO ORTOGRÁFICO|APOIOS E INCENTIVOS|DIREITOS DE AUTOR|LEGISLAÇÃO|ESTUDOS E ESTATÍSTICAS|PNL|CCT|OUTROSDENUNCIAR|INFORMAÇÕES GERAIS|LEGISLAÇÃOCONCURSOS E PRÉMIOS|NOVIDADES EDITORIAIS|OUTRAS NOTÍCIAS

Conte�do alternativo

Adobe Flash player

Menu Principal > Notícias > Outras Notícias > Ecos do Mundo > A Federação dos Livreiros Europeus (EBF) leva as suas reivindicações ao Gabinete da Comissária Kroes

A Federação dos Livreiros Europeus (EBF) leva as suas reivindicações ao Gabinete da Comissária Kroes

A 12 de Julho, uma delegação da EBF, composta pelo seu presidente John McNamee, pelo vice-presidente Ari Doeser, por Tim Godfrey e pelo Secretariado, foi recebida pela senhora Boix-Alonso, Chefe de Gabinete da Comissária Kroes para discutir a Agenda Digital e o seu impacto na venda de livros. A Agenda Digital é uma das bandeiras da Comissão Europeia na sua estratégia EU2020 “para uma sociedade mais inteligente, ecológica e inclusiva”.
 
Durante a reunião, a EBF assegurou que apoia a Agenda Digital e os seus objectivos de crescimento e sublinhou o importante papel que os livreiros desempenham no desenvolvimento local. Não obstante, foi realçado que para ser possível oferecer uma variedade de conteúdos digitais, os livreiros necessitariam de uma garantia legal no que diz respeito à preservação dos direitos de autor e de uma competitividade justa. A EBF enfatizou, em particular, a importância da luta anti-pirataria e a relevância que os ISPs (Internet Service Providers) têm em todo este processo; para além disso existe um perigo real de competitividade injusta entre as bibliotecas subsidiadas, que disponibilizam livros electrónicos gratuitamente, e os livreiros que os vendem.
 
A EBF encorajou igualmente a Comissão a investigar as condições objectivas necessárias para que os livreiros invistam em novos modelos de negócio; possivelmente sob a forma de um estudo acerca das diferentes iniciativas e dos melhores exemplos de boas práticas, no que diz respeito à digitalização no universo livreiro.
 
A senhora Boix-Alonso mostrou-se muito receptiva aos argumentos e sugestões da EBF. Apesar de convencida de que o sector tem necessidade de se preparar para desenvolver novos modelos de negócio, concordou que a pirataria acarreta grandes limitações. Concordou igualmente em que os elevados impostos eram um obstáculo à adopção maciça de conteúdos digitais e encorajou a EBF a continuar a bater-se por uma taxa de IVA igual para todos os formatos de livros.
 
A delegação da EBF entregou um documento detalhado acerca da sua posição relativamente à Agenda Digital, a ser consultado em:
 
  Mapa do Site | Desenvolvido por: Holos | © APEL 2010